APARELHOS INTRA ORAIS DE RONCO E APNEIA.

(19) 3044.8899

(19) 98124.8789

Clínica Odontológica em Campinas Odonthos | Dentistas em Campinas

DTM/ATM (Ronco e Apneia)

A Odonthos é uma Clínica Odontológica Integrada em Campinas que realiza diagnósticos e tratamentos dentários, faciais e de gengivas com equipamentos de última geração. A Odonthos oferece diversas áreas odontológicas, com profissionais qualificados em próteses, implantes, saúde bucal, entre outros serviços.

 

APARELHOS INTRA ORAIS DE RONCO E APNEIA

Áreas de atendimento > APARELHOS INTRA ORAIS DE RONCO E APNEIA

A apneia é uma das mais sérias doenças do sono. A apneia é o fechamento da passagem de ar pela garganta durante o sono, o que faz com que o paciente sofra pequenas paradas respiratórias nesses momentos.

De fato, o termo “apneia” significa, literalmente, “suspensão da respiração” ou “parada respiratória”. O ronco é apenas uma das consequências.

Veja a seguir as principais questões sobre a apneia, suas consequências e o seu tratamento:

Por que a apneia do sono é uma doença grave?

A pessoa que sofre de apneia do sono tem a passagem de ar pela garganta obstruída enquanto dorme. Como consequência, a pessoa chega a ter uma pequena parada respiratória nesse momento.

Ao perceber a parada respiratória, o cérebro emite um alerta ao organismo e faz que a pessoa desperte o suficiente para obter um pouco de ar e reativar a respiração. Esse despertar é, na grande maioria dos casos, imperceptível, ou seja, a pessoa não tem consciência que isso está ocorrendo. É um processo quase automático das defesas do organismo.

O problema é que esses breves momentos que o organismo desperta para reativar a passagem do ar se repetem dezenas de vezes durante o sono. Nos casos mais graves, as pessoas com apneia despertam mais de 50 vezes por hora ao longo da noite – sem a pessoa se dar conta.

E como é natural, esse processo repetitivo provoca uma enorme tensão no paciente, que é incapaz de alcançar um repouso profundo e revigorante. A pessoa dorme mal, e isso traz péssimas consequências à sua saúde.

Além disso, este distúrbio do sono é, muitas vezes, a principal causa do ronco em quem sofre desta doença.

Quais são as principais consequências da apneia do sono?

A apneia do sono traz várias consequências negativas ao paciente. Ela é a causa do ronco, que é apenas uma delas, e que pode incomodar não somente a pessoa, como também quem dorme ao seu lado.

Mas há outras consequências ainda mais sérias: sonolência diurna (com uma perda da produtividade nos momentos de trabalho ou lazer), perdas de memória, falta de concentração e foco, grande irritabilidade e dor de cabeça.

Nos casos mais graves, o paciente pode despertar com a sensação de sufocamento (o que provoca grandes sustos), refluxo do esôfago, secura na boca, espasmos da laringe e desejos de urinar. Sem contar todos os prejuízos da falta de um sono saudável, essencial para se recuperar as energias e a boa saúde durante o dia.

Quais são os danos à saúde provocados por uma má qualidade do sono?

Dormir mal, com um sono de má qualidade, afeta muito o organismo de qualquer pessoa. Uma noite mal dormida, com vários momentos em que a pessoa desperta e não alcança um sono profundo e restaurador faz com que a pessoa desperte com uma forte sensação de cansaço.

Além disso, a pessoa passa a ter dificuldade em permanecer acordada durante as suas atividades (no trabalho, ao falar ao telefone, ao dirigir um automóvel), pode sofrer depressão, pode ter redução da libido, impotência sexual e cefaleia (dores de cabeça).

O que pode acontecer com quem sofre uma apneia prolongada, sem o devido tratamento?

Sofrer de apneia por muitos anos pode ter consequências muito sérias à saúde. Ela é uma doença grave e progressiva, podendo afetar o coração, o cérebro e outros órgãos vitais. Nos casos mais graves, suas consequências podem ser pressão alta, infarto do miocárdio, arritmia no coração e derrame cerebral. E ela ainda acentua os riscos de acidentes de trânsito.

Não à toa, a apneia do sono é considerada uma das doenças que mais matam. Estima-se que ela afeta cerca de 5% da população no Brasil (aproximadamente 8,5 milhões de pessoas). O sintoma mais frequente em quem sofre de apneia é a hipertensão – de 70 a 90% das pessoas que sofrem de apneia).

Quais são os tipos de apneia do sono?

Há dois tipos de apneia do sono. Uma delas é muito rara, causada por uma disfunção do sistema nervoso central. Ela é chamada de Apneia Central.

A mais comum, no entanto, é a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono, cujo fator de risco é a obesidade (quando o excesso de gordura bloqueia o canal da faringe) ou por características anatômicas específicas que dificultam a passagem do ar enquanto a pessoa dorme (que são os casos mais comuns). Na Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono, a obstrução à passagem do ar pode ser causada pela hipertrofia da amídala e/ou da adenoide (tamanho exagerado de ambas). Este tipo de apneia afeta sobretudo os homens (especialmente os obesos) e mulheres após a menopausa. Ela tem origem hereditária e pode se manifestar ainda em idade infantil.

Como diagnosticar a apneia do sono?

A apneia do sono pode ser diagnosticada por meio de um exame chamado de polissonografia. Ele é realizado em laboratórios de exames do sono, onde sua infraestrutura permite monitorar todos os aspectos de saúde da pessoa durante o seu sono.

Como são os tratamentos da apneia do sono?

Há várias maneiras de se tratar a apneia do sono. A escolha do método e do aparelho para apneia do sono dependerá do diagnóstico. Os métodos mais comuns são:

• Uso de um aparelho intra-oral para ronco – o aparelho intra-oral é um aparelho para apneia do sono desenvolvido de forma a se posicionar a mandíbula mais para a frente durante o sono. Assim, a garganta fica desobstruída e permite a passagem de ar, eliminando-se também o ronco. • Uso da máscara contra o ronco – a máscara contra o ronco (conhecida como CPAP, que vem da sigla em inglês Continuous Positive Airway Pressure ) é um aparelho para apneia do sono similar a uma máscara de inalação de ar. Ela impede o ronco e ajuda a eliminar a apneia do sono. Sua função, como seu nome diz, é enviar um fluxo de ar contínuo para as vias respiratórias, impedindo a falta de ar. O CPAP é indicado de acordo com o grau de apneia do sono. • Tratamento cirúrgico – a cirurgia é indicada para remover os obstáculos à passagem do ar pela garganta durante o sono, quando os métodos anteriores não surtem efeito.

Outras recomendações para se evitar a apneia do sono são: perder peso, evitar a obesidade, evitar dormir com a barriga para cima (dormir de lado é mais recomendável).

  

O que é o ronco?

O ronco é provocado pela vibração que ocorre quando o ar enfrenta dificuldades ao passar pela garganta ou pelo nariz. Ele é um importante alerta para o estado do paciente, podendo ser um indicador de apneia do sono.

Quais são os riscos à saúde de uma pessoa que ronca?

O ronco pode ser um indicador de apneia do sono, levando a pessoa ao risco de sofrer todas as suas consequências negativas, como apresentadas anteriormente.

Além disso, o ronco traz outras consequências, como o mau hálito e o aumento do ressecamento da boca (quando a pessoa respira pela boca intensamente) – sem contar os transtornos e incômodos às pessoas à sua volta.

Quais são as causas do ronco?

A principal causa do ronco é a garganta flácida, ou seja, os músculos da garganta se reduzem, fazendo que haja o contato das suas paredes internas, gerando um ruído e uma vibração característicos.

Mas há vários outros fatores que podem levar ao estreitamento da garganta e à consequente dificuldade de se passar o ar e causar o ronco: fatores anatômicos como a obesidade, o queixo pequeno, o céu da boca no formato de ogiva, aumento das amídalas e da adenoide, a mordida estreita etc.

Estes problemas tendem a aumentar quanto mais avançada for a idade, quanto maior for o consumo de bebidas alcoólicas e o consumo de remédios para a ansiedade.