TRATAMENTO DE ATM/DTM E DOR OROFACIAL.

(19) 3044.8899

(19) 98124.8789

Clínica Odontológica em Campinas Odonthos | Dentistas em Campinas

ATM/DTM (Dor OroFacial)

A Odonthos é uma Clínica Odontológica Integrada em Campinas que realiza diagnósticos e tratamentos dentários, faciais e de gengivas com equipamentos de última geração. A Odonthos oferece diversas áreas odontológicas, com profissionais qualificados em próteses, implantes, saúde bucal, entre outros serviços.

 

TRATAMENTO DE ATM/DTM E DOR OROFACIAL

Áreas de atendimento > TRATAMENTO DE ATM/DTM E DOR OROFACIAL

O que é ATM/DTM?

ATM é a sigla para “Articulação Temporomandibular”. DTM, por sua vez, se refere à “Disfunção Temporomandibular”.

A Articulação Temporomandibular é a articulação que liga a mandíbula ao crânio, na região do osso temporal. E esta articulação é uma das mais complexas do nosso organismo, sendo responsável por todos os movimentos do maxilar inferior da mandíbula.

Devido a essa complexidade, qualquer dor ou mal funcionamento da articulação (DTM) origina uma série de dores crônicas que afetam outras regiões: dor na cabeça, dores de ouvido, dor atrás dos olhos, problemas no maxilar inferior da mandíbula (maxilar estalando), limitações nos movimentos de abrir e fechar a boca, dores nos músculos da mastigação etc.

Como detectar problemas na Articulação Temporomandibular (ATM)?

Não é muito fácil identificar problemas na Articulação Temporomandibular (DTM). Eles frequentemente confundem os profissionais da medicina e da odontologia, pois muitos têm dificuldade em associar uma dor na cabeça, dores de ouvido, dores de origem dentária e uma dor nos olhos à uma disfunção da articulação do maxilar inferior da mandíbula (pode ser o maxilar estalando). Além disso, os sintomas da DTM costumam ser ainda mais variados.

Contudo, há alguns outros sintomas que são mais facilmente associados a disfunções na articulação temporomandibular (DTM). Entre eles estão os problemas no maxilar inferior da mandíbula (maxilar estalando) e no osso temporal, as limitações nos movimentos de abrir e fechar a boca, o bruxismo (ato de ranger ou apertar os dentes, especialmente durante o sono), dores nos músculos da mastigação, etc.

De fato, muitas dores crônicas e dores de origem dentária, relacionadas à DTM, aparentam não ter relação com problemas na mandíbula. A maior delas são as dores de cabeça (cefaleia), ou mesmo a enxaqueca. Quem enfrenta tais dores, frequentemente também sente dores no pescoço, dores de ouvido e em partes da face.

Quais são as causas mais comuns da DTM?

As disfunções da articulação temporomandibular (DTM) muitas vezes não tem uma causa facilmente definida. Mas é certo que determinados hábitos da pessoa causam dores relacionadas à DTM. Esses hábitos são o bruxismo (apertar e ranger os dentes, tanto durante o sono quanto durante o dia), o hábito de manter a mandíbula apoiada sobre as mãos com excessiva frequência, o costume de mascar chicletes ou mesmo de roer as unhas.

Outras causas possíveis, não relacionadas a hábitos, podem ser traumas, influências genéticas e outras relacionadas à aspectos emocionais, como o estresse e a depressão. Todos esses fatores também causam dores relacionadas à DTM.

Como diagnosticar a DTM?

O cirurgião dentista que atua em ATM é o profissional mais capacitado para fazer o acompanhamento clínico e identificar problemas de DTM. Isso é realizado, primeiramente, com uma conversa com o paciente para levantar o quadro clínico. Em seguida, exames também devem ser realizados, incluindo ações como a palpação da musculatura da face e da articulação da mandíbula. A identificação de ruídos na articulação (ATM) também deve ser realizada.

Além destes exames físicos, o cirurgião dentista com habilitação em ATM pode também recomendar exames com equipamentos para o diagnóstico de DTM. Os mais comuns são a ressonância magnética e os exames de tomografia. Eles podem ser indicados quando os exames físicos despertam dúvidas ou geram situações inconclusivas.

Quais são as melhores maneiras de tratar a DTM?

Profissionais da área da odontologia afirmam que não se pode falar em uma “cura da DTM”. Para um dentista de ATM, as disfunções da articulação temporomandibular (DTM) não apresentam uma maneira específica de serem eliminadas. O papel do cirurgião dentista, no entanto, é controlar o problema e atenuar os seus sintomas. Isso pode ser feito de diversas maneiras. Conheça algumas delas:

Placas para morder – elas são indicadas para quem sofre de bruxismo e costuma morder e ranger os dentes, especialmente durante o sono. As placas atenuam o efeito da mordida e reduz a dor crônica que surge devido a problemas na mandíbula.

Fonoaudiologia – para eliminar problemas na mandíbula, os exercícios indicados por um fonoaudiólogo podem ser necessários para “reeducar” a postura da articulação da mandíbula com o crânio. Esses exercícios são recomendados para trabalhar a musculatura da região, tanto no sentido de alongar os músculos quanto de fortalecê-los, corrigindo-se a oclusão bucal (o movimento da articulação de responsável por abrir e fechar a boca).

Fisioterapia – os exercícios de fisioterapia também podem ser usados para corrigir a movimentação da mandíbula. Para isso, são indicadas técnicas como o ultrassom, laser ou a eletroterapia, que atuam na cicatrização dos tecidos e melhoram a mobilidade da mandíbula, corrigindo os problemas de DTM.

Remédios – os medicamentos não são usados propriamente para curar a DTM. Analgésicos e relaxantes musculares, no entanto, podem ser indicados por um médico para atenuar as dores crônicas na região.

Psicologia – os tratamentos psicológicos podem ser indicados nos casos em que a causa da DTM está ligada a fatores como a depressão ou o estresse, ou seja, fatores de origem psicológica que afetam a musculatura da mandíbula.

Cirurgias – em casos mais extremos, a última opção é recorrer a uma cirurgia na região da articulação para resolver as disfunções da articulação temporomandibular (DTM).

O que são as Dores Orofaciais?

As Dores Orofaciais são dores na face relacionadas a tecidos moles e que sofreram processos de mineralização. Elas afetam a pele, os vasos sanguíneos, os dentes, os ossos, os músculos e até as glândulas da face e da boca. Por isso, a DTM pode ser considerada um tipo de dor orofacial.

Quais são os sintomas mais comuns das dores orofaciais?

Como mencionado, a DTM é um dos sintomas mais comuns. Mas também pode ser citada a dor de cabeça (cefaleia), dor nos dentes, dores na face, dores nos tecidos periodontais, neuralgias, traumas, tumores etc.